DJI_0496 copy.jpg

A Chancela da UNESCO

Fortaleza, cidade criativa

Em Fortaleza, a criatividade é, sobretudo, fruto da necessidade, simbolizando a capacidade da população em buscar alternativas para superar a pobreza e a exclusão. O talento para o comércio faz da Capital um locus de bens e serviços com importante dimensão cultural e criativa, com ênfase na atuação em rede dos nano, micro e pequenos empreendedores dos setores da Economia Criativa. O Plano Estratégico Fortaleza 2040 tem no seu escopo o Plano da Economia Criativa, que busca superar o desafio da desigualdade de oportunidades a partir da criatividade, favorecendo a ação coletiva e colaborativa dos segmentos culturais nos processos produtivos.

 

Fortaleza, cidade do design

O design em Fortaleza aparece também na melhoria da mobilidade urbana (redesign urbano das vias de maior circulação, implantação de ciclovias e ciclofaixas, viadutos, calçadas acessíveis, além do pioneirismo no País na introdução de automóveis elétricos de uso público), dos equipamentos de acessibilidade às praias, assim como da requalificação de áreas centrais degradadas. Os projetos “Mulheres Empreendedoras” e o “Meu Bairro Empreendedor” tem como objetivos financiar empreendimentos criativos em áreas de baixo IDH-bairro da cidade, tendo a Economia Criativa como impulsionadora de transformações socioeconômicas da população.

A área temática da candidatura de Fortaleza é o Design. Assim, o dossiê da candidatura da capital cearense precisava apresentar um conjunto de informações acerca do cenário, principais eventos e programas da área, contribuições, políticas públicas, ações de fomento, marcos legais, pesquisas, deste segmento na Cidade. Um comitê gestor formado por representantes de várias instituições como a Prefeitura de Fortaleza, o Sebrae, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec-CE), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), da Associação Ceará Design, além de universidades e centros acadêmicos e entidades da sociedade civil, trabalhou na elaboração do dossiê da candidatura da Cidade.

 

Linha do Tempo da candidatura e seleção da UNESCO

Abril 2018 Primeira reunião do conselho gestor de Fortaleza para elaborar o dossiê da candidatura de Fortaleza a cidade criativa do design, pela UNESCO.

Junho/2018 Nos dias 07 e 08 o IPLANFOR - Instituto de Planejamento de Fortaleza realiza o I Seminário Distritos e Cidades Criativas, na sede do SEBRAE-CE.

Agosto/2018  Início da consultoria que ajudou a desenvolver o dossiê, em uma parceria com o SEBRAE/CE.

Novembro 2018 Nos dias 26 e 27 o comitê gestor da candidatura realiza a 2ª Jornada Iberoamericana de Design & Artesanato.

 

Agosto/2018 a Março/2019 Encontros, reuniões e articulações com todos os setores do design, bem como de áreas afins da economia criativa.

Março/2019  Nos dias 28 a 31 de março é realizada a I Ceará Deisgn Week, realizado pelo Museu da Indústria, Sistema FIEC, com apoio do SEBRAE e Associação Ceará Design

Abril/2019  Em abril de 2019 o comitê gestor enviou o dossiê da cidade de Fortaleza com os resultados dos últimos anos na área do design, bem como os compromissos de projetos a serem executados nos próximos 4 anos. O dossiê foi recebeu o aval e foi assinado pelo Prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio.

Julho/2019  Fortaleza É uma das quatro cidades selecionadas ao título de Cidade Criativa da Unesco. Ao receber o endosso da Comissão Nacional do Brasil para a Unesco ratificando a pré-seleção, Fortaleza concorre na categoria “Design”. O anúncio das duas cidades selecionadas que passarão a compor a Rede de Cidades Criativas será feito até novembro.

O dossiê enviado de sua candidatura foi fortemente elogiado pelos representantes da Comissão. Ao avaliarem Fortaleza, os membros da Comissão “realçaram a presença da economia criativa nos projetos da cidade, relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o interesse em cooperar com outras cidades dentro da Rede Global”. Além de Fortaleza, são finalistas as cidades de Cataguases (MG) na categoria “Cinema”; Belo Horizonte (MG), em “Gastronomia”; e Aracaju (SE), na área criativa “Música”. As cidades selecionadas serão submetidas a um comitê técnico da Unesco, formado por representantes das áreas de cultura e de economia criativa. Apenas duas cidades brasileiras poderão ser aprovadas para integrar a rede.

Entre as cidades inscritas, estavam Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Campinas (SP), Cataguases (MG), Diamantina (MG), Duque de Caxias (RJ), Fortaleza (CE), Imbituba (SC), Itaboraí (RJ), Niterói (RJ), Novo Hamburgo (RS), Pelotas (RS), Rio das Ostras (RJ), Santana de Parnaíba (SP), São Paulo (SP) e Taubaté (SP).

Outubro/2019  Fortaleza foi escolhida como cidade criativa em design.

O anúncio foi feito pela diretora geral da Unesco, Audrey Azoulay.

No Brasil, além de Fortaleza, também foi selecionada Belo Horizonte, como cidade criativa em gastronomia.

"Em todo o mundo, essas cidades, cada uma a seu modo, fazem da cultura o pilar, e não um acessório, de sua estratégia", diz Audrey Azoulay. "Isso favorece a inovação política e social e é particularmente importante para as gerações jovens".

A Rede de Cidades Criativas da Unesco conta agora com um total de 246 cidades.

Maio/2020  É escolhida e chancelada pela UNESCO a marca oficial da cidade. A escolha foi fruto de um concurso público, aberto para designers e empresas da área e contou com 64 propostas inscritas. A seleção contou com um júri formado por especialistas de Fortaleza, do Brasil e do exterior.

A Rede UNESCO

De acordo com a Unesco, a iniciativa foi criada em 2004 e promove a cooperação internacional dentro e entre municípios de zonas urbanas que investem na cultura e na criatividade como aceleradoras do desenvolvimento sustentável. São sete áreas temáticas da economia criativa definidas pela Unesco: artesanato e artes folclóricas, design, cinema, gastronomia, literatura, artes midiáticas e música.

A Rede de Cidades Criativas reúne 246 cidades de 72 países do mundo. No Brasil, são dez: Belém (PA), Florianópolis (SC) e Paraty (RJ) no quesito “Gastronomia”; Brasília (DF) e Curitiba (DF) no quesito “Design”; João Pessoa (PB) como “Artesanato e artes populares”; Salvador (BA) como “Música”; e Santos (SP) como “Cinema”, Belo Horizonte (MG) como Gastronomia e Fortaleza (CE), como design.

As Cidades Criativas têm como missão colocar as indústrias culturais e criativas no centro de suas estratégias de desenvolvimento, com o objetivo de transformar as cidades em locais mais inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Funcionam como um laboratório de ideias e de práticas inovadoras, trazendo contribuições concretas para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas.

@2020 Fortaleza Criativa