A Candidatura

Fortaleza é uma das quatro cidades selecionadas ao título de Cidade Criativa da Unesco. Ao receber o endosso da Comissão Nacional do Brasil para a Unesco ratificando a pré-seleção, Fortaleza concorre na categoria “Design”. O anúncio das duas cidades selecionadas que passarão a compor a Rede de Cidades Criativas será feito até novembro.

O dossiê enviado de sua candidatura foi fortemente elogiado pelos representantes da Comissão. Ao avaliarem Fortaleza, os membros da Comissão “realçaram a presença da economia criativa nos projetos da cidade, relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o interesse em cooperar com outras cidades dentro da Rede Global”. Além de Fortaleza, são finalistas as cidades de Cataguases (MG) na categoria “Cinema”; Belo Horizonte (MG), em “Gastronomia”; e Aracaju (SE), na área criativa “Música”. As cidades selecionadas serão submetidas a um comitê técnico da Unesco, formado por representantes das áreas de cultura e de economia criativa. Apenas duas cidades brasileiras poderão ser aprovadas para integrar a rede.

Entre as cidades inscritas, estavam Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Campinas (SP), Cataguases (MG), Diamantina (MG), Duque de Caxias (RJ), Fortaleza (CE), Imbituba (SC), Itaboraí (RJ), Niterói (RJ), Novo Hamburgo (RS), Pelotas (RS), Rio das Ostras (RJ), Santana de Parnaíba (SP), São Paulo (SP) e Taubaté (SP).

A área temática da candidatura de Fortaleza é o Design. Assim, o dossiê da candidatura da capital cearense precisava apresentar um conjunto de informações acerca do cenário, principais eventos e programas da área, contribuições, políticas públicas, ações de fomento, marcos legais, pesquisas, deste segmento na Cidade. Um comitê gestor formado por representantes de várias instituições como a Prefeitura de Fortaleza, o Sebrae, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec-CE), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), da Associação Ceará Design, além de universidades e centros acadêmicos e entidades da sociedade civil, trabalhou na elaboração do dossiê da candidatura da Cidade.

A Rede

De acordo com a Unesco, a iniciativa foi criada em 2004 e promove a cooperação internacional dentro e entre municípios de zonas urbanas que investem na cultura e na criatividade como aceleradoras do desenvolvimento sustentável. São sete áreas temáticas da economia criativa definidas pela Unesco: artesanato e artes folclóricas, design, cinema, gastronomia, literatura, artes midiáticas e música.

A Rede de Cidades Criativas reúne 180 cidades de 72 países do mundo. No Brasil, são oito: Belém (PA), Florianópolis (SC) e Paraty (RJ) no quesito “Gastronomia”; Brasília (DF) e Curitiba (DF) no quesito “Design”; João Pessoa (PB) como “Artesanato e artes populares”; Salvador (BA) como “Música”; e Santos (SP) como “Cinema”.

As Cidades Criativas têm como missão colocar as indústrias culturais e criativas no centro de suas estratégias de desenvolvimento, com o objetivo de transformar as cidades em locais mais inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Funcionam como um laboratório de ideias e de práticas inovadoras, trazendo contribuições concretas para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas.

Depoimentos

Fortaleza é a única capital do País que tem um Plano de Economia Criativa. Sua candidatura à chancela Unesco de Cidade Criativa do Design é um meio para atingirmos um fim muito maior, qual seja, a formulação e a implantação de uma política pública que considere a cultura e a criatividade dos fortalezenses um ativo estratégico para o seu desenvolvimento. Estarmos entre as quatro cidades finalistas já é uma vitória."

Cláudia Leitão, diretora do Observatório de Governança Municipal (Diobs), do Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor) e presidente da Câmara Setorial de Economia Criativa

As cidades criativas criam oportunidades, geram negócios, fomentam o turismo. Essa ainda não é a etapa final, mas foi uma etapa muito difícil, pois concorríamos com o Brasil inteiro. Parabéns a todos os envolvidos, da Prefeitura, do Instituto Iracema, pela dedicação nesse projeto. Agora é torcermos para a decisão final da Unesco."

Davi Gomes, presidente do Instituto Cultural Iracema

Por ter coroado um esforço coletivo para identificar inúmeras ações realizadas em Fortaleza" nos últimos quatro anos na área do design: "E ele exerce importante papel nas diversas escolas de formação profissional (Porto Dragão, Vila das Artes, Escola de Artes e Ofícios, Faculdades de Design), assim como em setores que promovem eventos de repercussão internacional, como o recente DFW, passando pelo design urbano, reconhecido pela recente edição do Mobilize e tantas outras manifestações culturais e criativas que ocorrem em toda a Cidade

Mário Fracalossi, superintendente adjunto do Iplanfor

Figurar entre as quatro finalistas nacionais é o reconhecimento de que a Prefeitura de Fortaleza está no caminho certo, com o desenvolvimento de uma cidade cada dia mais participativa e inclusiva. A categoria Design, na qual Fortaleza concorre, abrange os aspectos mais plurais do desenho institucional de uma cidade. Envolve desde a criação de políticas públicas que incentivam as manifestações criativas, coletivas e culturais, como o artesanato, o desenho têxtil e mobiliário e a arte urbana, ao fomento de setores como o turismo e negócios à execução de projetos de mobilidade, meio ambiente e sustentabilidade, que tragam melhor qualidade de vida para as pessoas

Patrícia Macêdo, secretária de Relações Internacionais e Federativas de Fortaleza

@2019 Fortaleza Criativa